Missão Timor 2017

Posted Setembro 19, 2017

Foi no dia 26 de julho que iniciamos a viagem de avião rumo a Timor, levando connosco desejos de partilha, proximidade, disponibilidade e serviço. A Missão Timor 2017 tinha já sido iniciada há uns meses na Província, com o processo de constituição do grupo de missionários, os dois encontros de formação no Porto e em Lisboa e com todo o empenho generoso de irmãs e colaboradores, de crianças, jovens e famílias das nossas obras, de gente solidária e amiga que comungou da causa através de donativos e da oração.
Em Timor, no aeroporto de Dili, fomos alegre e calorosamente acolhidos pelas Irmãs Teresa de Jesus e Palmira, que nos acompanharam na viagem até Zumalai. Já era noite quando chegamos ao nosso destino de missão. À nossa espera, persistindo extraordinariamente durante horas, estavam a Ir. Margarida, o Ir. António da comunidade Carmelita, e dezenas de crianças e adolescentes. Os sorrisos, abraços, palavras de boas-vindas, a imposição do tais, rapidamente nos fizeram sentir “em família”!
Em cada manhã, habitualmente às 6:30, participávamos na Missa paroquial e depois voltávamo-nos inteiramente para o trabalho com os alunos da Escola, os alunos da Escola, dando aulas do 1º ao 9º anos, nas áreas do português, artes plásticas, atividade desportiva, jogos e filmes educativos, música, formação humana e cristã. Pontualmente, ao fim da tarde, demos apoio a um grupo de adultos no nsino/aprendizagem do português. A par da lecionação na Escola, a colaboração na Paróquia foi diária, quer na animação litúrgica, quer na oração do Rosário com as crianças ao fim da tarde, quer ainda na orientação de dois momentos de oração, à noite, abertos à comunidade paroquial. Diariamente, a seguir ao jantar, fomos fiéis a um tempo forte de oração em grupo, à avaliação do dia e à planificação das atividades do dia seguinte.
Houve também ocasião de agradáveis passeios a pé ou em camiões e carrinhas: na localidade, em contacto com o povo de Zumalai; a Raimea e a Suai; e, na véspera do regresso a Portugal, na cidade de Dili. Foram culturalmente interessantes e particularmente comoventes as visitas a locais que continuam a fazer memória da morte e massacre do povo timorense.
A poucos dias de deixarmos Zumalai, celebramos o tempo juntos com uma festa ensaiada com as crianças, com base nas aprendizagens feitas. Também fomos presenteados por uma festa de despedida na Escola Católica. Como já prevíamos, foi difícil o momento de despedida, particularmente ao vermos as crianças ao nosso redor, em lágrimas, não se cansando de nos abraçar.
Já em Dili, na manhã da partida, foi especial o momento de oração em grupo, com a participação das Irmãs Palmira e Teresa. Todos sintonizamos no mesmo sentimento de gratidão a Deus pelo vivido, partilhado, gratuitamente recebido. Foi expresso o nosso “muito obrigado!” às nossas Irmãs pelo acolhimento, pela presença e apoio constantes, pelo testemunho de fé e de fidelidade à missão de tornar Deus conhecido e amado, numa relação próxima e simples com o povo.
Regressamos a casa com as malas praticamente vazias, mas com o coração cheio de gratidão! Gratidão por termos vivido uma experiência pobre de meios mas rica do essencial, pelos dons partilhados, pela alegria na simplicidade, pela transformação acontecida, pelas marcas de mais Vida que deixamos e pelas que trouxemos e permanecerão para sempre gravadas em nós!
Ana Luisa Pinto, RSCM

 

Vem Emanuel

Dezembro 1, 2017

Eis a voz do que clama: Preparai no deserto o caminho do Senhor; endireitai no ermo uma estrada para o…

Veja Mais

Vem, Espirito Santo

Junho 3, 2017

Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o…

Veja Mais

A viagem do Papa Francisco a Fátima, por ocasião da celebração do Centenário das Aparições e da canonização dos pastorinhos…

Veja Mais