4 de Março Morte da Irmã St. Jean

Posted Março 3, 2021

Grupo Herança e Espiritualidade
Ir. Rosa de Lima Pereira, RSCM – Área Brasil

 

 

 

 

“A vida em Deus dura sempre, cresce, como a luz do sol. Para quem tem fé, mesmo as maiores penas são acompanhadas de consolação”.   Pe. Jean Gailhac  

No nosso Calendário de datas importantes das RSCM, o dia 4 de março registra a morte da nossa querida Ir. St. Jean que , com o Pe.Gailhac, foi dando corpo ao nosso Instituto, a partir do DOM recebido de Deus pelo Pe.Gailhac.

 Por ocasião do sesquicentenário do nosso Instituto, em 1999, tive a oportunidade de ouvir uma conferência, proferida pela nossa saudosa Ir. Mary Milligan, RSCM sobre a Ir. St. Jean. E a Ir. Mary se referia à Apolonie – a nossa Mère St.Jean – como a “mulher dos três êxodos”! De fato, sua vida foi igualmente dividida em três períodos “vocacionais”: 20 anos vividos como jovem , 20 anos como esposa de Eugène Cure, e 20 anos como RSCM, sendo então a nossa Primeira Superiora Geral.

Em sua formativa conferência, Ir. Mary Milligan me convenceu para sempre de alguns traços que, para mim, descrevem esta MULHER DE FÉ E ZELO, ao longo dos seus 60 anos vividos:

 Da primeira parte – dos seus primeiros 20 anos: Mary nos apresentou uma menina-moça bem formada, prendada, única filha com três irmãos, tendo frequentado a escola/liceu, como aluna interna, numa escola de religiosas – “Dames de Saint-Maur”. Passou pela perda de dois irmãos, chegando à idade adulta apenas com um.

Através da sua família, Apolonie conheceu Eugène Cure, com quem veio a se casar.

 Da segunda parte – dos seus 20 anos de casada – Mary nos apresentava o segundo êxodo de Apolônia, que foi a morte dos seus pais, num prazo de apenas dois meses, pouco antes do seu casamento. Seu apoio, seu consolo, foi a sua decisão de não se fixar no sofrimento, escolhendo tecer a sua vida com a de Eugène, seu esposo.

A terceira parte – a partir da morte de Eugène – Mary nos introduz no “segredo” cultivado pelo casal Cure que, segundo a tradição, se um deles viesse a faltar… o outro se entregaria a Deus, no sacerdócio ou na vida religiosa.

No dia 4 de novembro de 1848, morre Eugène repentinemente.

 Diz-nos a Ir. Mary Milligan: “Podemos imaginar suas imensas lágrimas pelo marido querido… Uma perda, uma escolha, um chamado à vida!… E assim, em 24 de fevereiro de 1849, esta mulher corajosa, generosa e inteligente fez este êxodo… associando-se aos sonhos do Pe. Gailhac, iniciando-se,  assim, a história do Instituto das Religiosas do Sagrado Coração de Maria, tendo em Apolônia a sua primeira Superiora Geral, recebendo o nome de Mère St.Jean.

 Encerramos esta pequena partilha com as palavras da Ir.Mary Milligan, referindo-se àquele DIA 04 DE MARÇO DE 1869:

O êxodo final da Mère St.Jean é aquele que todas nós faremos.
Entrou no mistério extraordinário da VIDA que,
ao longo da vida, ela sempre escolheu”!

Artigo francês

4 mars Décès de Mère Saint-Jean

A RESSURREIÇÃO

Abril 9, 2021

GRUPO HERANÇA E ESPIRITUALIDADE Beatrice Magaya, RSHM A ressurreição tem tudo a ver com Deus nos mostrando o significado do…

Veja Mais